A Menina que Roubava Livros (The Book Thief) – Markus Zusak

menina-que-roubava-livros

“Os seres humanos me assombram.” – a Morte, pág. 382 

Por ser filho de um austríaco e uma alemã, Markus Frank Zusak cresceu ouvindo as histórias sobre a Alemanha nazista. Para ele é importante mostrar o fato histórico onde ainda existiam rebeldes que não seguiam as regras e as pessoas que escondiam os judeus e outros em suas casas. Em A Menina que Roubava Livros, Zusak nos aprensenta Liesel Meminger, a personagem de uma criança que encontrou a morte três vezes.

Como Liesel Meminger sobreviveu às três ocasiões, de tão impressionada, a Morte decidiu contar a história desta pequena. Após ver seu irmão morrer no colo da mãe, a menina é entregue aos cuidados de Hans e Rosa Hubermann, um pintor desempregado e uma dona de casa rabugenta. Ao começar sua nova vida na Rua Himmel, Liesel trazia escondido na mala o primeiro livro que roubara: O Manual do Coveiro. Este foi o primeiro de vários livros que ela roubaria ao longo dos quatro anos seguintes. Os livros que roubara nortearam sua vida naquele tempo, quando a Alemanha estava sendo transformada diariamente pela guerra. As palavras que Liesel encontrou nas páginas dos livros, e as destacou, seriam mais tarde aplicadas ao contexto à sua própria vida. Ela chamou a atenção da morte, e, “quando a Morte conta uma história você deve parar para ler.”

“Tive vontade de dizer muitas coisas à roubadora de livros, sobre a beleza e a brutalidade. Mas que poderia dizer-lhe sobre essas coisas que ela já não soubesse?”

A Menina que Roubava Livros está na minha lista de meus livros favoritos.  É impossível não sentir a mesma dor da personagem principal e não aprender as mesmas lições. A força e a coragem da protagonista em um país onde o horror foi predominante são incríveis. Um personagem que me chamou à atenção foi Hans Hubermann, um pintor desempregado e pai emprestado de Liesel. Com ele, ela aprende muitas coisas, e com o passar do tempo o considera como seu pai verdadeiro. O crescimento deste personagem é maravilhoso.

“O que, por sua vez, me traz ao assunto de que lhe estou falando […]. É a história de um desses sobreviventes perpétuos – uma especialista em ser deixada para trás.”

 Este é um livro para ler e reler. E você, já leu?

guinha

 

2 responses to “A Menina que Roubava Livros (The Book Thief) – Markus Zusak

  1. Já li e reli. Realmente, um excelente livro. Não apenas uma história boa, mas muito agradável de ler, não achei cansativo em momento algum. Só fiquei decepcionada com o final, deu a sensação de ter sido jogado às pressas no livro, ficou desconectado, sei lá. Mas ainda assim, também é um dos meus preferidos.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s