Trilogia Vampiresca de André Vianco

Geralmente nas sextas, eu e Agnes nos revezamos para fazer uma resenha de um livro diferente. Dessa vez eu vou mudar um pouco essa rotina. Nos tempos de ensino médio, fui recomendado por um amigo a ler os livros de André Vianco. Estava atrás de literatura brasileira fantasiosa, eis que me surge a saga do Bento Lucas e de seu arqui-inimigo Cantarzo, em três volumes.

O primeiro livro saga e o que introduz todos os personagens da trana, inclusive os que se foram antes mesmo do inicio da narração, e os que ainda estão por aparecer.

Bento

Em uma noite comum para , todo ser vivo no planeta, metade do mundo como conhecemos, metade da população adormece e os que ainda estão despertos se vêem expectadores de fenômenos inconcebíveis: O desaparecimento de todo tipo de doença e o surgimento de vampiros. O mundo se desfaz aos poucos, os vampiros em hordas ensandecidas, devastam cidades. Os sobreviventes são obrigados a se forçarem a uma nova rotina, durante o dia trabalham para refazer o mundo e entender o que os rodeia, a noite, lutam para se manterem vivos e afastar os vampiros das novos sociedades recém formadas. Quando tudo parece perdido, é profetizado a vonda dos trinta guerreiros bentos, homens poderosas capazes de enfrentar pau a pau as criaturas da noite. A profecia dizia ainda que quando eles se reunissem, quatro milagres se desencadearão para salvar a humanidade.

Diferente de todos os livros de vampiros que li até o momento, esse trás uma potente arma contra as criaturas da noite, os bentos. Guerreiros mágicos que no meio de uma luta, conseguem ter a mesma força destrutiva dos vampiros. São espécies de salvadores escolhidos aleatoriamente pelo acaso (bem assim como os desacordados e os vampiros). Lucas é o 30º bento, que chega na história para consagrar uma profecia, a de que a sua vinda traria os três milagres, dos quais poderiam salvar a humanidade da tomada dos vampiros. Esse primeiro livro, assim como todo bom primeiro livro de alguém sequencia, introduz o mundo cenário da trama. Imaginem um apocalipse zumbi, só que com vampiros.

Eu realmente gostei da forma como Vianco contou uma história já bem batida. Não somente esse conflito entre homens e vampiros, mas também, nesse novo mundo que irremediavelmente precisou ser construído, podemos ver um êxodo rural ao contrário, todas as cidades sumindo e dando vasão aos campos.

Vampiro Rei

Assim como no primeiro livro temos o Bento Lucas, recém despertado, como destaque, Lúcio e Cantarzo. O primeiro, escravo do segundo. Cantarzo é uma espécie nova de vampiro, mais poderoso que os demais, mas está encerrado numa caixa de madeira, em estado de transe, conversando com seu lacaio apenas em sonhos. Lúcio tem como missão levar seu mestre até Tereza, uma bruxa que vive ao norte do Brasil, que fará com que o vampiro desperte e se torne o rei dos seus semelhantes. A jornada do lacaio é árdua, com poucas pistas sobre o real paradeiro da bruxa. Enquanto Cantarzo está sendo levado para sua glória e o começo da derrocada dos humanos de uma vez por todas, os humanos, abençoados por bento Lucas fazem ressurgir em seus semelhantes a chama da esperança, conquistando aos poucos o país, até então dominado pelos Vampiros.

Nesse segundo volume, com os personagens devidamente apresentados, juntamente com o conflito principal, temos pequenos dramas secundários, o que torna ainda mais original a história do autor. A leitura, assim como no primeiro, é bem tranquila e até muito prazerosa. A junção de uma fantasia enorme e ficção cientifica dá um ar ainda mais inovador a história que está sendo contada. Em uma época que é corriqueiro história de vampiros, zumbis et cetera… Vianco realmente conseguiu fazer algo original. É explicado, nesse segundo volume, um pouco do que leva os vampiros a serem vampiros, dos bentos a serem bentos, e dos adormecidos ainda continuarem adormecidos. Uma reviravolta em trama, já que nesse volume, diferente do primeiro, são os vampiros o foco, não aumentando ainda mais a carga de vilanismo, mas sim que são essas criaturas sem escolha própria, e que assim como todos os outros humanos e bentos, eles eram pessoas normais, que carregam na memória a vida que tinham antes do apocalipse cair sobre a Terra.

Vampiro Rei Vol. II 

No ultimo livro da saga, enfim Bento Lucas, o guerreiro de luz, e Cantarzo, o vampiro-rei, se encontram e realizam o grande combate que já estava profetizado no primeiro livro. O folclore brasileiro é mostrado sem muita animação. O encerramento esperado, e finalmente a luta derradeira entre os vampiros e os humanos acontece. Cada um dos destaques, protagonistas e antagonistas, que nos dois primeiros livros quase se confundem entre si, se degelariam em prol dos seus ideais, seja ele a salvação ou a danação da raça humana.

É ai que vianco quebra a cara violentamente. O primeiro livro é realmente um primor. O prazer de ler, mesmo uma história como essa, é muito grande. O que mais espanta realmente, foi um brasileiro se dar ao trabalho de “embrasileirar” uma lenda de outra cultura. Ficou sim não somente criativo, mas bem narrado e bem montado, até esse final desnecessário e sobrecarregado de informações acontecendo simultaneamente. André Vianco capta o leitor, mas o frustra com seu final.

Sobre o Autor:

André viando é natural de Osasco – SP. Antes de escrever essa trilogia, ele escrevia para a sessão de humor da rádio Jovem pam, e só em 2001, “Os sete”, foi publicado. Que é o primeiro livro dele publicado por uma editora com uma moralzinha maior, a Novo Século. O livro é uma derivação do seu primeiro livro “O senhor da chuva”, de 1998. Além de Autor, é diretor de curta, já produzindo até mesmo um piloto de uma serie de TV baseado em histórias próprias, “O turno da noite”. Atualmente, ele escreve pra rede bobo Globo.

Obras publicadas:

O Senhor da Chuva (1999) – editora Novo Século

  • Os Sete (1999) – editora Novo Século

  • O Senhor da Chuva (2001) – editora Novo Século

  • Sétimo (2002) – editora Novo Século

  • Sementes no Gelo (2002) – editora Novo Século

  • A Casa (2002) – editora Novo Século

  • Bento (2003) – editora Novo Século

  • O Vampiro – Rei Vol.1 (2004) – editora Novo Século

  • O Vampiro – Rei Vol.2 (2005) – editora Novo Século

  • O Turno Da Noite, Os Filhos De Setimo Vol.1 (2006) – editora Novo Século

  • O Turno Da Noite, Revelações Vol.2 (2006) – editora Novo Século

  • O Turno Da Noite, O Livro de Jó Vol.3 (2007) – editora Novo Século

  • Vampiros do Rio Douro Vol. 1 (2007) – editora Novo Século

  • Vampiros do Rio Douro Vol. 2 (2007) – editora Novo Século

  • O Caminho do Poço das Lágrimas (2008) – editora Novo Século

  • O Caso Laura (2011) – Editora Rocco

  • A Noite Maldita – Crônicas do Fim do Mundo (2013) – editora Novo Século

One response to “Trilogia Vampiresca de André Vianco

  1. Pingback: Resumão #6 | Café com Whisky·

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s